MARIANO JABONERO É ELEITO NOVO SECRETÁRIO-GERAL DA OEI
MARIANO JABONERO É ELEITO NOVO SECRETÁRIO-GERAL DA OEI

MARIANO JABONERO É ELEITO NOVO SECRETÁRIO-GERAL DA OEI

OEI. 26/04/2018
Tamanho do texto+-

O candidato do governo espanhol foi eleito hoje durante a celebração no México da XIII Assembleia Geral da Organização de Estados Ibero-americanos. Jabonero, que substitui o brasileiro Paulo Speller, tem uma vasta experiência no campo educacional ibero-americano.

Mariano Jabonero é licenciado em Filosofia e em Ciências da Educação pela Universidade Complutense de Madri. Ao longo de sua carreira desempenhou diversas funções, tanto técnicas quanto de alta direção, no Ministério da Educação espanhol. No âmbito acadêmico, foi professor da Faculdade de Educação da Universidade Complutense, além de autor de inúmeros artigos, textos e conferências, especialmente sobre educação e Ibero-América.

Desde 1988, tem trabalhado em todos os países ibero-americanos e residido em vários deles como consultor ou especialista da UNESCO, PNUD, OEA e OEI. Além disso, exerceu o cargo de diretor de Educação da Fundação Santillana, realizando numerosas iniciativas de cooperação educacional com a UNESCO, a UNICEF e vários governos da região. Entre 2003 e 2010, foi diretor geral da OEI. Mariano Jabonero recebeu diferentes distinções, por sua dedicação à educação e à cultura, entre elas, a Ordem de Afonso X, O Sábio.

O novo Secretário Geral da OEI é conhecido por sua excelente visão de cooperação de maneira ampla, horizontal. Jabonero deve acompanhar de perto as cooperações firmadas pelos escritórios da OEI com os respectivos países onde se encontram. Uma atenção que vai além da gestão de projetos. “Jabonero entende a importância de aproximação da OEI com a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), reforçando a cooperação com a África e reforçando a língua portuguesa no âmbito da OEI”, destaca o diretor da OEI no Brasil, Raphael Callou.

O espanhol Mariano Jabonero tem uma ampla experiência e atuação na América Latina. Já atuou de maneira próxima e significativa com países como a Argentina e conhece bem a região. “É uma pessoa que reúne condições para conseguir formalizar uma rede produtiva e colaborativa em todas as regiões ibero-americanas”, completa Callou.

A Organização, sediada na Espanha, reúne 24 representantes governamentais, tem escritório em 19 países e atua na cooperação em prol da educação, da cultura, da ciência e da tecnologia.

BALANÇO - Mariano Jabonero sucede na direção da organização ao brasileiro Paulo Speller. Psicólogo e doutor em Ciência Política, Speller foi eleito, em 2014, o primeiro brasileiro a comandar a OEI. Speller tem uma vasta experiência na área da educação, em especial na Educação Superior. Foi reitor da Universidade Federal do Mato Grosso entre 2000 e 2008.

Durante a XIII Assembleia Geral da OEI, Speller apresentou o balanço de seu mandato. Entre os principais marcos, destacam-se:

o início ou o fortalecimento do trabalho conjunto com organizações internacionais, tais como a UNESCO, o Banco Mundial ou a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa);

a implementação do Programa Paulo Freire de mobilidade acadêmica;

o lançamento do Programa Regional para a melhoria dos sistemas de Educação e Formação Técnica Profissional (EFTP);

a abertura do escritório nº 18 da OEI, o de Portugal;

a criação do Instituto de Educação em Direitos Humanos (IDEDH);

o lançamento do Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos;

e a recepção em 2017 do prestigioso Prêmio WISE pelo projeto “Luzes para Aprender”, que levou energia solar e Internet para mais de 500 escolas rurais na Ibero-América, e que foi documentado em 2015 no curta-metragem “Bem-vindos”, dirigido por Javier Fesser (disponível para visualização no canal de Youtube da OEI a partir de hoje).

Confira matéria sobre a Assembleia