No Dia Mundial da Água, organizadores do 8º Fórum comemoram resultados: edição de Brasília bate recorde de público
No Dia Mundial da Água, organizadores do 8º Fórum comemoram resultados: edição de Brasília bate recorde de público
Organizadores do Fórum na apresentação do balanço da edição (foto: Sérgio Dutti/8ºFMA)

No Dia Mundial da Água, organizadores do 8º Fórum comemoram resultados: edição de Brasília bate recorde de público

OEI. 22/03/2018
Tamanho do texto+-

Nunca houve uma edição do Fórum Mundial da Água com público tão grande como esta, realizada em Brasília desde o último fim de semana. No Dia Mundial da Água, celebrado nesta quinta-feira (22/03), a 8ª edição do Fórum já registrava a presença de 85 mil pessoas. Uma média de 17 mil participantes por dia. A expectativa é que o total de visitantes ultrapasse os 100 mil nesta sexta-feira, último dia do evento. A edição anterior, na Coreia do Sul, reuniu cerca de 40 mil pessoas. 

Os dados foram apresentados na tarde desta quinta-feira em entrevista coletiva, da qual participaram o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg; o presidente do Conselho Mundial da Água, Benedito Braga; o diretor-executivo da Agência Nacional de Águas (ANA), Ricardo Andrade, e o presidente da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa), Paulo Salles.

Para Benedito Braga, o sucesso de público “mostra que o tema se torna cada vez mais importante para a sociedade, para a classe política e no âmbito econômico”. Para o governador Rollemberg, “Brasília teve muito orgulho de ter se tornado, nos últimos dias, a capital mundial da água”: “Acredito que a população entendeu que a garantia de termos água em quantidade e qualidade é uma responsabilidade de todos”.

“Foi uma experiência marcante, inclusiva, em que mais de mil instituições estiveram envolvidas”, destacou Paulo Salles.”Deixamos o legado e o compromisso de contribuir para uma cultura de paz com o fomento ao compartilhamento da água.”


Fonte de água da Torre de TV (Foto: Jorge Cardoso/8º FMA)

Os números

Segundo o balanço geral, das 85 mil pessoas registradas, 74,5 mil visitaram a Vila Cidadã e a Feira; e 10,5 mil são congressistas presentes nas mais de 300 sessões temáticas do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Os participantes são provenientes de 172 países.

A participação do Poder Judiciário foi uma das novidades desta edição. A Conferência de Juízes e Promotores contou com 83 juízes, promotores e especialistas de 57 países e emitiu como documento final a “Carta de Brasília”. O Instituto Global do Ministério Público, que reúne membros de ministérios públicos de diversas nações, também elaborou a “Declaração do Ministério Público sobre o Direito à Água”, que foi assinada por nove países.

Já a Conferência de Ministros aprovou a declaração “Chamado urgente para uma ação decisiva sobre a água”, fruto das discussões entre ministros e chefes de delegação de mais de 100 países. O documento, produzido por 56 ministros e 14 vice-ministros de 56 países, estabelece ações prioritárias para enfrentar os desafios relacionados ao acesso à água e ao saneamento.

Também em conferência, 134 parlamentares de 20 países produziram como documento final a “Declaração Parlamentar”. E autoridades locais e regionais lançaram o “Chamado para Ação de Governos Locais e Regionais sobre Água e Saneamento de Brasília” ao final da conferência que reuniu 150 prefeitos, governadores e deputados estaduais.

A Expo e a Feira do 8º Fórum Mundial da Água contaram com 87 expositores. E a Vila Cidadã ofereceu diariamente uma série de atividades para escolas, incluindo atividades interativas, experiências de realidade virtual, oficinas e filmes. Segundo os organizadores, o total de empregos gerados em Brasília no 8º Fórum Mundial da Água foi de 2.500 empregos diretos e 5.500 indiretos.


Atividades interativas para crianças são oferecidas na Vila Cidadã  (Foto: Jorge Cardoso/8º FMA)

Histórico

Criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água (WWC, na sigla em inglês), o Fórum Mundial da Água foi idealizado para estabelecer compromissos políticos acerca dos recursos hídricos. Realizado a cada três  anos, chegou ao Hemisfério Sul pela primeira vez este ano. As sete edições anteriores foram em Marrakech (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Kyoto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coreia do Sul, 2015).

O 8º Fórum Mundial da Água é organizado no Brasil pelo Conselho Mundial da Água (WWC), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), representado pela Agência Nacional de Águas (ANA), e pelo Governo do Distrito Federal, representado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) é integrante do Comitê Organizador Nacional (CON).(Adasa). 


(*Com informações do WWC e da Agência Brasília)