UCCI lança a segunda edição do Prêmio de Novela Gráfica ‘Cidades Ibero-americanas’
UCCI lança a segunda edição do Prêmio de Novela Gráfica ‘Cidades Ibero-americanas’

UCCI lança a segunda edição do Prêmio de Novela Gráfica ‘Cidades Ibero-americanas’

OEI. 19/02/2018
Tamanho do texto+-

Interessados em participar do II Prêmio de Novela Gráfica – Cidades Ibero-americanas têm até 15 de julho para enviar suas obras. Podem participar autores de qualquer nacionalidade, maiores de 18 anos. Os trabalhos devem estar escritos em espanhol ou português, devem ser inéditos e não podem ter sido premiados anteriormente nem estar participando de outro concurso. 

Além do prêmio de 6 mil euros, o vencedor terá sua obra editada nas versões impressa e digital, em espanhol (caso tenha sido escrita em português, será traduzida). A editora Sexto Piso também se encarregará da distribuição nos países da comunidade ibero-americana. Outros dois trabalhos receberão prêmios no valor de mil euros.

O Prêmio de Novela Gráfica é uma iniciativa da União de Cidades Capitais Ibero-americanas (UCCI) e do Ayuntamiento de Madrid, com o apoio da Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), da Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB) e do Organismo Internacional da Juventude para Ibero-América (OIJ).


Desenvolvimento sustentável

O concurso, que teve sua primeira edição em 2017, surgiu com o objetivo de fomentar as expressões culturais que giram em torno das dinâmicas da cidade ou fazem referência a como as pessoas vivem e sonham e como se projetam no entorno urbano. Nasceu do desejo de gerar espaços que promovam os princípios da Carta Cultural Ibero-americana, aprovada na XVI Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, realizada em 2006 em Montevidéu, assim como a Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, adotada pela UNESCO em 2005.

A premiação também busca chamar a atenção para a importância dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) acordados em setembro de 2015 pelos Estados membros das Nações Unidas. Esta agenda inclui metas direta ou indiretamente relacionadas com o papel das cidades no desenvolvimento sustentável.

Na primeira edição, concorreram obras de 13 países. A vencedora foi "Casa Transparente", da autora argentina María Luque (vídeo). Os outros dois prêmios foram para o mexicano Emmanuel Peña, com "Nada aquí", e para os yucatecos Héctor Turriza, Sergio Neri e Gaspar Pantoja, criadores de "Dolores del Barrio".





Confira o regulamento: http://bit.ly/2ECGVAZ