Dia do Espanhol e do livro: o dom da palavra

Dia do Espanhol e do livro: o dom da palavra

OEI. 22/04/2019
Tamanho do texto+-

  • 577 milhões de pessoas falam espanhol, 76% da população mundial
  • 2ª língua materna do mundo em número de falantes, atrás apenas do mandarim
  • 3ª língua mais usada na internet

Estes são alguns dos dados mais significativos do último anuário sobre “O espanhol no mundo”, do Instituto Cervantes. Os dados confirmam a importância do espanhol como um elemento de identidade e ação, como demonstrado no VIII Congresso Internacional a Língua Espanhola (CILE), ocorrido em março em Córdoba, Argentina.

A língua é palavra. Escrita, lida e falada.

Um veículo de comunicação e identidade que nos permite romper fronteiras e construir novos horizontes criativos, humanos e sociais.

A língua, como base das indústrias culturais, é ação, adaptação e transformação. Riqueza

Tudo isso foi discutido em Córdoba, durante o CILE e está compilado no n° 44 da newsletter do IBERlectura, que traz todas as atividades que foram realizadas durante o CILE.

Muitas das ações que foram realizadas no Congresso como Leitura em Movimento; a coleção Ibero-América lê Poesia; e a apresentação da série DANY, guias com o objetivo de auxiliar professores que atuam em escolas onde os alunos têm outro idioma materno e que precisam aprender o espanhol como segunda língua. O CILE acolheu também o Seminário Ibero-americano de Jornalismo e Comunicação.

Todas essas ações têm significado especial nesta data que marca do dia do livro e da língua espanhola porque são intervenções que promovem o acesso à leitura, além de como utilizar e entender o idioma

O Seminário Ibero-americano de Jornalismo e Comunicação contou com 41 especialistas da Argentina, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, México, Peru e Uruguai. O encontro contou ainda com a participação de 400 profissionais de comunicação. Durante o evento, foram apresentados quatro relatórios de pesquisa e realizadas oficinas infantis em parques educativos da cidade.

Sob o lema Com todas as palavras e tudo, discutiu-se a palavra a partir do contexto do direito, do valor e da intertextualidade. As novas mídias, a convergência de mídias digitais e as desigualdade entre homens e mulheres dentre outros temas foram postos como desafios para o jornalismo no sentido de melhorar o acesso à informação.

O seminário ressaltou que a Comunicação é tida como um dos elos para estabelecer uma melhor educação cidadã, para aprender a entender e transmitir a verdade da realidade, sem ser um valor absoluto. Nesse sentido, “os fatos existem e a palavra é central para essa verdade”, argumentou o jornalista argentino Néstor Sclauzero. “O que nos ajuda a pensar no plural”, completou a pesquisadora Carmen Rico de Sotelo, durante intervenção no evento.

 A língua é pensamento global em todos os níveis.

Informativo, coloquial e criativo.

E é nesse ponto que a palavra pode continuar a construir nexos e imaginários que vão além.

Partem daí iniciativas como o concursos como a 6ª edição do “O que você está lendo?”, promovido pela OEI em parceria com a Fundação SM, cujo o prazo de inscrição vai até dia 10 de maio. Tem também o Concurso Literário que conta o apoio de Pula María Foundation Alonso de Ruiz Martínez e Fundação Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes. O concurso está com chamada ibero-americana aberta até 30 de setembro.

Há ainda a 9ª edição do Concurso Itaú de Conto Digital; prêmio como o VivaLectura, a ser entregue em 8 de Maio na 45ª edição da Feira Internacional do Livro de Buenos Aires, e o Prêmio Ibero-Americano de Educação em Direitos Humanos Oscar Arnulfo Romero.

Mas para que a leitura seja uma realidade, temos que educar.

Para atingir este objetivo, foram programados concursos para agentes de mediação de leitura para crianças e jovens, por meio do CAEU-IBERLectura, da OEI.

Todas essas ações são causa e efeito da língua.

Uma defesa completa da palavra e de tudo o que é capaz de produzir e criar.

Um dom que a OEI considera como fator elementar de sua riqueza.