Encontro ibero-americano de cultura encerra debates tratando do desenvolvimento de cidades e promoção da educação por meio da cultura

Encontro ibero-americano de cultura encerra debates tratando do desenvolvimento de cidades e promoção da educação por meio da cultura

OEI. 05/07/2019
Tamanho do texto+-

A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) promoveu no segundo dia da Reunião de Alto Nível de Representantes Ministeriais e Institucionais de Cultura da Ibero-América quatro painéis de discussão que abordaram, principalmente, o desenvolvimento das cidades, os direitos autorais e a educação cultural e artística.

O primeiro painel teve como foco o papel da cultura no desenvolvimento das cidades. Foi apresentado por Laia Gasch, Senior Advisor to the Deputy Mayor for Culture and Creative Industries, London, England. Laia alertou para os desafios da cidade no século XXI, entre eles o ritmo acelerado da migração e a diversidade cultural. “A cultura tem o poder de revitalizar os bairros, trazer novas energias à cidade e, consequentemente, atrair o turismo. Além de nos oferecer algo mais como conexão humana que no une e nos coloca em contato uns com os outros”. 

O painel contou ainda com a participação de Omar Marzagão, do World Cities Culture Forum – Ibero-América; Paul Owens, Director of World Cities Culture Forum; e José Alfonso Suárez del Real, Secretário de Cultura da Cidade do México e Vice-presidente de Âmbito Estratégico de Cultura da UCCI. A representação do Brasil na mesa foi composta por Alexandra Schjelderup, diretora de Cultura e Educação, Prefeitura da Cidade do Panamá; Ale Yousseff, Secretário Municipal de Cultura de São Paulo; e Mariana Ribas, Secretária Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. 

“Os Direitos autorais e a propriedade intelectual no contexto do desenvolvimento digital” foi o segundo painel do dia. Na pauta questionamentos como: Quais as formas de reconhecimento e proteção de autoria e direitos autorais existentes na Ibero-América? e Como avançar com as ações para as indústrias culturais e para a economia criativa no contexto digital, com base nas normativas atuais e nas políticas públicas para a proteção efetiva dos direitos autorais e de propriedade intelectual na Ibero-América? 

Ficou a cargo de Adriana Moscoso, Diretora Geral de Indústrias Culturais e Cooperação do Ministério de Cultura – Espanha, a apresentação e a moderação. Para ela, o crescimento do mercado ibero-americano potencializa a cultura dos nossos povos, que é tão necessário para o desenvolvimento cultural. 

Já a terceira reunião do dia debateu a educação, a arte e a cultura, e abordou os caminhos para os fortalecimentos dos sistemas educativos da região ibero-americana vinculado as competências artísticas às competências científicas, tecnológicas e matemáticas. E também o desenvolvimento da relação entre educação, arte e cultura como uma das chaves para a inovação nos sistemas educativos da região.

Na mesa, Luz Amparo Medina, Diretora-Geral de Cultura da OEI, como apresentadora e moderadora; Gabriel Francisco Cisneros Abedrabbo, Vice-ministro de Cultura e Patrimônio, Equador; Pablo Gonzalo Gomez, responsável pela área de cultura, Fundação Telefônica, Espanha; Maria do Pilar Lacerda, Diretora da Fundação SM do Brasil.

O último painel do dia de evento trouxe o tema “Gestão cultural na Ibero-América”, com apresentação e moderação de Luis Guillermo Cortés Carcelén, vice-ministro de Patrimônio Cultural e Indústrias Culturais do Peru. “Estamos falando de uma área que é apaixonante, mas tem alto nível de complexidade. A gestão cultural tem que focar na sustentabilidade dos projetos e os responsáveis precisam ser especialistas no assunto”, enfatiza o vice-ministro. Luis Guilhermo também trouxe um questionamento sobre a discussão do tema, ressaltando que isso nos obriga a discutir se “o caminho que estamos trilhando até agora é o que deve ser seguido”.

Luz Amparo Medina encerrou o evento que reuniu aproximadamente 150 pessoas nos dois dias, dentre vice-ministros e secretários de Cultura de governos de 18 países, além de diretores de fundações culturais da Ibero-América.

Diretora-Geral de Cultura da OEI parafraseou o físico Albert Einstein em seu discurso de agradecimento: “Não se pode conquistar resultados diferentes se seguimos fazendo sempre as mesmas coisas”. E reforçou o que já havia dito no primeiro dia sobre a importância de realizar mais encontros como esse incluindo representantes de outros segmentos como saúde, alimentação e energia, para tornar a discussão mais ampla.

Reunião de Alto Nível de Cultura da Ibero-América

Fotos: Ricardo Guzzo

Galeria de imagens (Clique nas miniaturas para abrir a imagem)