Observatório da OEI abre chamada para apresentação de trabalhos

Observatório da OEI abre chamada para apresentação de trabalhos

OEI. 18/12/2019
Tamanho do texto+-

Cientistas, pesquisadores e acadêmicos que estudam ou trabalham na produção, análise e uso de indicadores em ciência e tecnologia têm até 31 de março para apresentar trabalhos para o XI Congresso Ibero-Americano de Indicadores de Ciência e Tecnologia que ocorre setembro de 2020, em Portugal.

O encontro é organizado pela Rede Ibero-Americana de Indicadores de Ciência e Tecnologia (RICYT) em conjunto com o Observatório Ibero-Americano de Ciência, Tecnologia e Sociedade (OCTS/OEI), a Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência (DGEEC), o Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) e a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) de Portugal.

O lema desta edição é “25 anos da RICYT: lições aprendidas e desafios futuros” e busca analisar as lições dos últimos 25 anos de construção de indicadores na Ibero-América. O Congresso tem por objetivo propor políticas científicas e tecnológicas e, na oportunidade, também será atualizada a agenda de discussão do tema nos próximos anos.

Na prática, o evento buscará discutir as questões tradicionais relacionadas com indicadores e ampliar o escopo do debate para as áreas de trabalho que possam oferecer novas ferramentas para a análise da ciência, tecnologia, inovação e sua relação com a sociedade e desenvolvimento na Ibero-América.

O evento terá 13 painéis temáticos que constituirão o programa do congresso. Esses painéis pretendem expandir o universo da discussão em torno de uma abordagem interdisciplinar de algumas das principais questões na construção de indicadores.

Conheça as 13 áreas temáticas:

Particularidades dos indicadores de ciência, tecnologia e inovação na Ibero-América – Características locais e comparação global

Impacto social da ciência e tecnologia: que informação os indicadores podem oferecer?

Sociedade da Informação: 15 anos após o Manual de Lisboa, quais são os desafios de avaliação da sociedade digital?

Indicadores de gênero, ciência, tecnologia e inovação

Indicadores de produção científica, acesso aberto e novas tecnologias

Indicadores de vinculação de instituições com seu ambiente

Indicadores de inovação: de Bogotá a Oslo 4 e como medir o impacto econômico da ciência e tecnologia

Indicadores de cultura científica, percepção e apropriação social da ciência e tecnologia

Mobilidade dos pesquisadores. Geográfica (dentro e fora do país) e setorialmente.

Medição de vocações científicas, formação profissional e acesso a carreiras científicas e tecnológicas

Indicadores do ensino superior e sua importância para a mensuração da ciência e tecnologia

Indicadores e avaliação da atividade científica

O futuro dos indicadores: como as informações estatísticas são acessadas, processadas e visualizadas? Como tirar proveito de novas fontes e técnicas de processamento (dados administrativos, big data, web scrapping)?


Mais informações aqui