OEI e SEAP reúnem propostas para o setor pesqueiro nacional em seminário em Brasília

OEI e SEAP reúnem propostas para o setor pesqueiro nacional em seminário em Brasília

OEI. 01/08/2018
Tamanho do texto+-

A Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) e a Secretaria Especial da Aquicultura e da Pesca (SEAP/PR) realizam até esta quinta-feira, 2, o seminário “Subsídios ao Ordenamento Pesqueiro Nacional”. O evento ocorre no auditório do anexo I da Presidência da República, em Brasília, e conta com a participação de integrantes do governo Federal, da OEI e de especialistas do setor, além de representantes da sociedade civil.

Durante esses dois dias de encontro serão tratadas questões como estatísticas e quantificação da produção pesqueira nacional, bem como formas de rastreamento do tráfego de embarcações nas águas brasileiras. Os temas fazem parte de uma série projetos que foram desenvolvidos por meio de parceria da OEI com a SEAP. “As apresentações que serão feitas aqui representam um legado a ser compartilhado, tendo em vista a importância do setor pesqueiro para o desenvolvimento do país”, ressalta o diretor da OEI, Raphael Callou.

Para o diretor, os resultados podem tanto nortear as políticas da SEAP, quanto podem servir de modelo para outros países da ibero-americanos, uma vez que o país detém uma expertise que está relacionada à extensa sua área costeira, somada a diversidade de bacias hidrográficas. “Um cenário geopolítico regional e internacional que projetos como esses só têm a contribuir para a preservação, além de impulsionar o setor do país como referência internacional”, explica.

Ao longo de aproximadamente três anos, consultores trabalharam para desenvolver estratégicas e programáticas para sugerir a implementação de ações, bem como promover a sustentabilidade da aquicultura e pesca no Brasil. “Uma parceria profícua para o setor, pautada no desenvolvimento e conhecimento científico”, avalia o Secretário da SEAP, Dayvison Franklin de Sousa. Segundo Sousa, para que se retomar o crescimento pesqueiro no país é preciso contar com parcerias que produzam resultados como esta selada com a OEI.

O secretário lembrou ainda que a produção de alimentos é uma preocupação de vários países e que a necessidade de se pensar em uma solução tem de levar em conta o olhar de todos os aspectos de sustentabilidade e segurança. “Olhando para os aspectos econômicos e sociais e também científicos”, acrescenta. O encontro contou também com a presença do diretor de Planejamento e Ordenamento da Pesca, José Amauri Maia e o coordenador-geral de Planejamento e Ordenamento da Pesca, Henrique Gonçalves de Almeida.

Subsídios ao Ordenamento Pesqueiro Nacional