Plano de ação 2019-2020 da OEI será apresentado a ministros de Educação da Ibero-América
Plano de ação 2019-2020 da OEI será apresentado a ministros de Educação da Ibero-América

Plano de ação 2019-2020 da OEI será apresentado a ministros de Educação da Ibero-América

OEI. 18/09/2018
Tamanho do texto+-

No próximo dia 27 de setembro, ministros da Educação de 23 países da Ibero-América se reúnem na cidade de Antigua Guatemala, na Guatemala, no 77° Conselho Diretivo da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI). O encontro ocorre a cada dois anos e tem como objetivo principal submeter a aprovação dos ministros a programação orçamentária que guiará o plano de cooperação multilateral da Organização nos próximos dois anos.

O plano de ação está dividido em três áreas. “A primeira é a educação, política pública com mais demanda na região”, ressalta o espanhol Mariano Jabonero, que tomou posse há três meses como novo Secretário-Geral da OEI para o período de 2018-2022.

No âmbito da educação, o Secretário-Geral destaca a atenção do plano da Organização com a primeira infância, devido sua importância educacional, social e econômica para garantir um futuro melhor para todas as crianças. Além disso, o secretário enfatiza a importância das habilidades para o século 21. “Que prepararam os jovens para necessidades profissionais que desconhecemos”, explica.

Outro aspecto prioritário do planejamento da OEI é a mobilidade dos estudantes para a pesquisa e a promoção do bilinguismo na Ibero-América. “A região tem cerca de 800 milhões de falantes de espanhol e português, além de centenas de línguas nativas ", diz Jabonero.

No campo cultural, o plano de ação da OEI para os próximos dois anos apontam para o pleno desenvolvimento da Carta Cultural Ibero-americana. O documento contribui para o fortalecimento da identidade e da integração ibero-americana, inclusive em termos de retorno econômico e criação de emprego.

A programação orçamentária (2019-2020) da OEI inclui como prioridade também atenção à área de ciência na região. Aposta em um aumento no investimento para a pesquisa e desenvolvimento (I&D), bem como a indicadores de desenvolvimento regionais próprios no campo da ciência e da inovação.

O 77° Conselho Diretivo da OEI prevê ainda a nomeação do novo Secretário-Geral Adjunto da Organização para os próximos quatro anos.